Município de Itajaí pede colaboração dos moradores no combate ao Aedes aegypti

Levantamento aponta que maior parte dos focos encontrados foi em residências e comércios.

O Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado neste mês pela Vigilância Epidemiológica, constatou que a maior parte dos focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus estão dentro das casas e comércios da cidade. Ao todo, 155 imóveis apresentaram focos positivos e apenas dois terrenos baldios. O levantamento apontou ainda que a situação de infestação da cidade está em alto risco.

De acordo com o LIRAa, pequenos depósitos, que poderiam ser facilmente eliminados pelos moradores, foram os locais onde os agentes de endemias mais encontraram criadouros do mosquito. Calhas e ralos com água parada também foram pontos de atenção nas casas. Além disso, as equipes identificaram criadouros em caixas d’água, barris e tonéis para armazenamento de água, pneus, lixo e bromélias.

Durante o levantamento foram localizados e eliminados 220 focos pelos agentes de endemias. Os bairros com maior concentração de criadouros foram: Cordeiros (91 focos), São Vicente (80), Fazenda (62), Cidade Nova (54) e Praia Brava (49). O gerente do Núcleo de Controle de Zoonoses de Itajaí, Lúcio Vieira, afirma que a situação preocupa da Secretaria de Saúde, pois a região já registrou casos autóctones de dengue.

“Itajaí tem uma estrutura enorme para combate ao Aedes aegypti, são 87 agentes em campo mais os veículos próprios que estão nas ruas diariamente. A prefeitura está fazendo sua parte, mas os focos estão dentro das residências e comércios das pessoas. Por isso, pedimos que todos façam sua parte, recebendo bem o agente de endemias e verificando seus quintais uma vez por semana para retirar objetos que possam acumular água”, alerta Vieira.

A Secretaria de Saúde de Itajaí segue realizando ações de controle, por meio da Sala de Situação e da Vigilância Epidemiológica. Ao todo, já foram realizadas neste ano quase 57 mil visitas em residências, comércios, terrenos baldios, armadilhas e pontos estratégicos pelo Programa de Controle da Dengue – 10 mil a mais do que foi feito no mesmo período de 2018.

O Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) é realizado duas vezes por ano, em março e novembro. Nesse período, os agentes de endemias visitam todos os bairros do município para identificar os locais com maior concentração de focos do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.

Previna-se contra o Aedes aegypti:

– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usar, coloque areia até a borda;
– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
– Mantenha lixeiras tampadas;
– Deixe os depósitos para guardar água sempre vedados, principalmente as caixas d’água;
– Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
– Mantenha ralos fechados e desentupidos;
– Lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
– Retire a água acumulada em lajes;
– Dê descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
– Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
– Não jogue lixo em terrenos baldios;
– Denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde pelo telefone (47) 3249-5573.

___________________________
Informações adicionais:
Secretaria de Saúde de Itajaí
Vigilância Epidemiológica
(47) 3249-5573

Fonte: Site da Prefeitura de Itajaí

Comentários

comentários